Notícias

Vereadores visitam locais atingidos por chuvas do início do ano em Cachoeira do Brumado

Visita Técnica
514
20

As chuvas que caíram sobre o distrito de Cachoeira do Brumado, distante a cerca de 27 quilômetros da sede de Mariana, destruíram casas e deixaram diversas famílias longe de seus lares. Na manhã do dia 6, uma comissão de vereadores visitou diversos pontos da comunidade e conversaram com pessoas que foram atingidas pelas chuvas.

A vereadora Daniely Alves (MDB) ouviu moradores que tiveram suas casas atingidas por deslizamentos de encostas, como foi o caso do comerciante Leonardo Teixeira. Segundo ele, a última vez que um técnico da Prefeitura esteve em sua residência foi há mais de 30 dias. O morador ressaltou que isso só aconteceu após os vereadores cobrarem, em plenário, uma atenção maior do município com as famílias que foram prejudicadas pelas chuvas. “Nós já estamos no mês de agosto e até agora não tivemos nenhuma resposta concreta. Fizemos muitas coisas aqui, como retirar material que desceu das encostas, sozinhos, apenas com a ajuda de familiares e amigos” – lembra o comerciante.

Outro morador que reclama a ausência de um apoio maior do Executivo é o aposentado Alcino dos Anjos Filho. Ele lembrou que o prazo dado pela Prefeitura para o retorno a seu imóvel era até meados deste ano, mas que até agora não recebeu nenhum comunicado sobre isso. O aposentado está preocupado com o futuro, pois vai ter que entregar a casa que alugou para abrigar a família após os incidentes com a chuva. “Quando aluguei a casa que estou morando atualmente eu me comprometi entregar ela antes do final do ano. Continuamos aguardando uma resposta”, cobrou Alcino.

O presidente da comissão permanente de Obras Públicas, vereador Marcelo Macedo (MDB), também conversou com pessoas que tiveram suas casas atingidas pelos deslizamentos de encostas. O parlamentar ouviu diversas reclamações pela falta de ações para uma solução das famílias atingidas, principalmente aquelas que receberam o auxílio municipal do aluguel social. “As pessoas só querem estar em suas casas, voltar para a vida que tinham antes dos incidentes”, destacou o vereador.

Em uma dessas conversas, Macedo ouviu a história da artesã Geise Araújo dos Santos, que retornou para sua casa, mesmo com um laudo da Defesa Civil apontando risco no imóvel. Segundo a artesã, a volta para o seu lar foi comunicada à Secretaria de Desenvolvimento Social do município, pois ela precisa completar o benefício do aluguel social, uma vez que não encontrou outro imóvel com um valor compatível à ajuda financeira disponibilizada pela prefeitura. “A gente retornou porque não estava fácil pagar o aluguel. Tínhamos que tirar do próprio bolso para completar o aluguel, pois a prefeitura só arcava com um valor de 300 reais”, explicou a artesã.

Muito trabalho a fazer

A visita técnica ao distrito de Cachoeira do Brumado também contou com a participação dos vereadores Gerson Cunha (PSD) e José Jarbas Ramos Filho – Zezé de Nego (MDB). Para os parlamentares, há muito trabalho para ser realizado. Em um dos imóveis que foi atingido pelas chuvas e que ficou inundado por água e lama depois que uma rede pluvial estourou, o vereador Gerson Cunha trouxe uma boa notícia. Ele informou a proprietária que uma equipe da Secretaria Adjunta de Serviços Urbanos (Sasu) programou a intervenção na referida rede para os próximos dias. “Conversei com o Pereira do Sasu e ele me adiantou que em um prazo de no máximo 15 dias já vai começar os serviços de recuperação desta rede pluvial”, disse o vereador.

Além das casas atingidas, os parlamentares estiveram em diversos pontos da comunidade como estradas e às margens de córregos que passam pelo distrito. Em um desses locais, o vereador e também morador de Cachoeira de Brumado, Zezé de Nego, ressaltou a importância de ações rápidas e eficientes por parte do Executivo municipal. Ele demonstrou preocupação com a chegada do período chuvoso. “O governo municipal precisa se posicionar urgentemente em relação às famílias atingidas e as obras estruturais que precisam ser realizados o mais rápido possível em nossa comunidade. O que não pode é chegar o período das chuvas e tudo estar do jeito como está”, desabafou o vereador.

Ascom/CMM

Comentários