Notícias

C

Atividades da Câmara
100
3

Problemas constantes no abastecimento de água, ligações irregulares e falta de funcionários para manutenção. Essas foram algumas das reclamações apontadas pelos moradores do distrito de Padre Viegas, em Mariana, que motivaram a reunião sugerida pelo vereador Juliano Vasconcelos Gonçalves (PPS). O encontro reuniu, também, o vereador Cristiano Vilas Boas (PT), aproximadamente 100 moradores da localidade e o diretor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Mariana, o SAAE, Amarildo Júnior.

Juliano Vasconcelos cobrou da autarquia mais atenção na prestação do serviço à população. Água é um bem vital para todas as famílias. Nossa intenção com essa reunião é promover o debate e apontar soluções para que as reclamações diminuam, ressaltou o vereador que também cobrou do SAAE a presença no distrito de um funcionário para a realização constante da manutenção na captação e fornecimento. Juliano convidou o vereador Cristiano para que apresentem um requerimento à Prefeitura para que um funcionário da Secretaria de Obras, que mora no distrito, seja designado a realizar a manobra d’água.

Júnior Eduardo Nonato, presidente da Associação Comunitária de Padre Viegas, a ACOMPAV, e membro de um grupo que debate a falta de água no distrito, afirmou que a captação de água feita atualmente é insuficiente para atender a toda a população. “Vemos hoje famílias comprometendo parte do orçamento para comprar água potável por conta da baixa qualidade do produto que chega em nossas torneiras. Temos pessoas doentes que ficam com atendimento danificado por conta da falta do recurso. Por isso questionamos as ações que já foram tomadas e precisamos de ações concretas para melhorar nossa situação”, garante o representante dos moradores.

Aproximadamente mil moradores vivem hoje em Padre Viegas, parte deles tem a mesma reclamação: a baixa frequência com que a água é bombeada para as residências. A moradora Camila Gomes afirmou que no dia da reunião o fornecimento foi feito de forma eficiente e solicitou que fosse feita a investigação para saber o que ocorreu e que o mesmo seja mantido. “Hoje foi um dia em que a água caiu normalmente. Precisamos que isso aconteça de forma frequente, pois não podemos continuar dessa forma, com pessoas passando dificuldade”, garante Camila.

O diretor do SAAE, Amarildo Júnior, ressaltou que o grande problema para a solução das reclamações é a falta de recursos para novos investimentos e atualização e ampliação da rede. Não possuímos orçamento disponível para contratação de pessoal com dedicação exclusiva para manutenção da rede na comunidade, por exemplo. Temos uma equipe volante que circula todos os bairros e regiões realizando as vistorias preventivas, ponderou o chefe do SAAE.

Ficou acordado na reunião que será implantada ainda no mês de fevereiro uma rede de 132 metros para reduzir o corte de água, deixando a parte baixa independente da alta das casas, ampliação da fiscalização para combater o uso excessivo de água e ligações clandestinas. Outro ponto acertado é que será elaborado um cronograma para a regionalização do abastecimento do distrito para que os moradores saibam quais serão os horários de corte e liberação de água.

CPI - A Câmara instaurou uma Comissão Permanente de Inquérito (CPI) sobre o assunto em 2016. O relatório da apuração foi encaminhado ao Ministério Público para providências.

RECLAMAÇÕES - De acordo com o SAAE, mensalmente são direcionados cerca de 15 milhões de litros de água para os moradores de Padre Viegas. Mas aqueles que sofrem com a carência no fornecimento ou que queiram fazer outras reclamações podem entrar em contato pelo telefone 3557-9300.

Fotos